Disciplina Curricular

Da Revolução Científica à Big Science RCBS

Mestrado Integrado em Engenharia da Energia e do Ambiente - 6_Plano 2015/16 (Mest. Int)

Contextos

Grupo: 6_Plano 2015/16 (Mest. Int) > 1º Ciclo > Optativas > 1º Ano > 450_Formação Cultural Social e Ética - FCSE

Período:

Peso

6.0 (para cálculo da média)

Objectivos

Introduzir o estudo histórico das ciências, de forma integrada, do século XVII ao século XX. Evidenciar a forma como o objecto de cada uma das disciplinas (astronomia, física, química, geologia e biologia) se foi moldando e redefinindo, através do estabelecimento de relações múltiplas entre elas. Analisar as transformações científicas nos seus múltiplos aspectos cognitivos, sociais e culturais.

Programa

1 - Introdução: Porquê uma História das Ciências? O papel da história das ciências nos cursos científicos e o papel do historiador das ciências. 2 - A Revolução Científica: A revolução na astronomia; da filosofia mecanicista ao universo matemático; um novo olhar sobre o mundo natural. A ciência como actividade social. Ciência, sociedade e religião. 3 - Ciência e Iluminismo: A natureza do Iluminismo; Ciência, razão, enciclopedismo e classificação. Filosofia experimental e newtonianismo(s). A química nova de Lavoisier; Ordem natural e visão fixista do mundo natural. As classificações racionais de Lineu e de Lavoisier. Organização da ciência: Sociedades e expedições científicas. 4 - O século XIX: Romantismo, revolução industrial e ciência; A irreversibilidade dos fenómenos naturais: a conquista do tempo na física, geologia e na história natural. Da história natural à biologia; o estatuto disciplinar da física. O papel da ciência no século XIX: a herança do positivismo. Popularização da ciência. Mais uma etapa na institucionalização da ciência: uma nova ideia de universidade. Profissão: cientista. 5 - O início do século XX: Revolução na ciência: os mundos estranhos do muito pequeno e do muito veloz. 6 - Ciência e a Segunda Guerra Mundial. A Bomba atómica, o computador e a emergência da Big Science. 7- Ciência no pós-guerra. A responsabilidade social do cientista. Os exemplos de Albert Einstein e de Linus Pauling. 8- Ciência no dealbar do século XXI: crise ou mutação? Métodos de ensino: Aulas teórica dedicadas à apresentação dos temas pelo professor e discussão colectiva. Aulas (teórico-práticas) dedicadas à análise e discussão de selecções de textos ou ao visionamento de filmes, ou ainda, a outras actividades a combinar. Bibliografia obrigatória: Peter J. Bowler, Iwan R. Morus, Making Modern Science. A historical Survey (Chicago: Chicago University Press, 2005). Bibliografia recomendada: Patricia Fara, Science. A Four Thousand Year History (Oxford: Oxford University Press, 2009). Peter Dear, The intelligibility of nature. How science makes sense of the world (Univ. Chicago Press, 2006). Yves Gingras, Peter Keating, Camille Limoges, Do escriba ao sábio. Os detentores do saber da Antiguidade à Revolução Industrial (Porto: Porto Editora, 2007).

Metodologia de avaliação

Dois testes obrigatórios. Se no primeiro teste o aluno tiver uma nota inferior a 8 valores, no segundo teste/exame será avaliado sobre toda a matéria e a nota final será a nota do segundo teste/exame. Se no primeiro teste o aluno tiver uma nota superior ou igual a 8, há duas hipóteses: segundo teste sobre a matéria dada após o primeiro teste, sendo a nota final a média dos dois testes; segundo teste/exame sobre toda a matéria e a nota final será a nota do segundo teste/exame. Haverá uma data de exame para todos aqueles que não tenham tido positiva ou queiram subir a nota. Para os que não tiveram nota positiva, a nota final será a nota do exame; para aqueles que tiveram nota positiva e que fizeram o exame (melhoria), a nota final será a melhor das duas notas. Os testes/exames serão compostos de 5 perguntas de desenvolvimento, tendo o aluno que responder a 4.

Disciplinas Execução

2018/2019 - 2 Semestre