2016/2017

Objetivos

Curso em extinção, substituído pela Licenciatura em Engenharia Geoespacial.


O objetivo principal da Licenciatura é a formação de licenciados em Engenharia Geográfica com competências na conceção, coordenação e execução de projetos nas áreas da Cartografia e Geodesia, orientados para a elaboração de Mapas, Informação Geográfica de Base Espacial e Posicionamento de elevada precisão, necessários para o desenvolvimento de outras atividades de engenharia, de suporte à monitorização de infraestruturas, gestão e planeamento do território e para utilização da sociedade em geral.Grande parte (60-80%) das decisões tomadas atualmente estão direta ou indiretamente relacionadas com informação geográfica ou georreferenciada. Ela está na base de planeamentos, medidas, orientações e decisões nos domínios dos transportes, da energia, das telecomunicações, do ambiente, do cadastro predial e ordenamento do território, da defesa nacional e da proteção civil, bem como, na gestão logística e de desastres naturais. A produção de informação geográfica de confiança, desde a sua génese até ao produto final com os níveis de qualidade exigidos pelos diversos utilizadores, é o principal objetivo da Engenharia Geográfica. Pela sua importância política e económica, e de defesa nacional, a informação geográfica constitui uma prioridade em qualquer sociedade moderna.

A Licenciatura em Engenharia Geográfica corresponde a uma oferta pedagógica que proporciona competências em projetos na área da topografia, do cadastro predial e da gestão da informação geográfica. Este primeiro ciclo deverá criar bases para diversos estudos de pós-graduação, em particular o Mestrado em Engenharia Geográfica, que permitam a aprendizagem de conhecimentos mais aprofundados e também a iniciação à investigação orientada para o Doutoramento. O primeiro ciclo permitirá uma rápida inserção no mercado de trabalho.

A Licenciatura em Engenharia Geográfica existe na FCUL desde 1921 e, desde essa data, tem sido responsável pela formação da quase totalidade dos engenheiros geógrafos do nosso país. Ao longo de 9 décadas a estrutura curricular e os seus conteúdos foram sendo progressivamente adaptados em função da evolução tecnológica, do aparecimento de novas áreas de intervenção e da consequente redefinição do perfil e competências do engenheiro geógrafo presentemente centrados na aquisição, processamento e gestão de informação cartográfica e georreferenciada.

Saídas Profissionais

Empresas de topografia, de produção cartográfica e de construção civil e arquitetura | Empresas de serviços em informação geográfica e ambiente, de energia e recursos naturais | Empresas de serviços de consultoria e planeamento, de gestão de redes de distribuição e serviços | Empresas de gestão de eficiência e inteligência geográfica | Entidades Públicas reguladoras de informação geográfica e cartográfica | Administração central (institutos públicos), regional e local (administrações regionais e câmaras municipais) | Empregabilidade superior a 95%, havendo áreas com excesso de oferta de emprego.

Coordenadores

Carlos Manuel Correia Antunes